quarta-feira, novembro 2

Dia de finados, dia de chuva.

"Minha irmã, há uns vinte anos, no enterro do meu bisavô que aconteceu em um feriado de finados:

- Toda vez que morre alguém da nossa família chove.
- E quem, além do bisa, já morreu na nossa família? Você fala como se já tivesse ido em um monte de enterros. Aposto que esse é o seu primeiro. Deu sorte que o papai deixou você vir, senão você nunca teria visto um morto.
- Eu já vi sim! Fui no enterro da dona Carmelita.
- E quem disse que a dona Carmelita era parente?
- Era sim. Eu chamava ela de tia e ela não saía lá da casa da vó.
- De enxerida que ela era! E a gente só chamava ela de tia porque criança é obrigada a chamar tudo que é velho de tio. Mas é só pra eles gostarem mais da gente, sua besta, e não porque são da família.
- Tio Guto não é nosso tio?
- Esse é.
- E a tia Lila?
- Não.
- Eu chamo ela de tia...
- Chama de trouxa e criançola que você é. Eu não chamo mais.
- Eu tenho sete anos, ô! É claro que eu ainda sou criança.
- Azar o seu.
- Você também é!
- Só porque você quer, bé-bé...
- Claro que você é! Você só tem nove!
- Não sou, não! Você que é.
- ...
- E você é tão burra que nem sabe porque está chovendo. Eu não deveria, mas vou contar pra você. Está chovendo porque, sem querer, o bisa morreu bem no dia de finados.
- Sem querer? Claro que foi sem querer! Como é que um velhinho morre querendo? Depois eu é que sou burra...
- Quis dizer que foi uma coincidência ele morrer bem no dia dos mortos, sua bocó.
- E o que isso tem a ver com a chuva?
- Está chovendo porque é dia de finados, não porque morreu gente da nossa família. Pode reparar! Todo dia de finados chove. Ano passado, quando a gente foi para Bertioga. Lembra? Choveu. Ano retrasado, em Iguape? Choveu também. Finados sempre chove.
- Não é nada disso, sua bestalhona! A tia Guida disse que é porque deus gosta muito da nossa família e sempre que morre alguém ele chora também.
- Ah, essa é boa! Se deus matou o bisa, porque você acha que ele iria chorar?
- Deus não matou o bisa! Você só fala merda!
- Ah, é? Pergunta pra vó, pra você ver se não foi deus quem matou o bisa.
E lá foi ela...
- Vó, porque o bisa morreu?
- Porque deus assim o quis, querida.

Ela olhou pra mim assustada...
- Viu?
- Deus é mau.
- Eu não disse? Por que você acha que a gente tem que rezar tanto pra ele? Se ele fosse bom a gente não precisava implorar tanto pra ele fazer o que a gente quer.
- Uau... é verdade."

Posted by Alessandra at novembro 3, 2003 04:49 PM

7 Comentários:

Às 02 novembro, 2005 16:25 , Blogger yatashi disse...

...

até fiquei sem reação.. puxa

 
Às 02 novembro, 2005 19:18 , Blogger Peter disse...

Se a conversa é verdadeira, é interessante, dada a idade das intervenientes.
Também é um modo de recordar os nossos familiares e amigos que já deixaram este mundo. Haverá outro?

 
Às 02 novembro, 2005 19:34 , Blogger yatashi disse...

eu não sei Peter, nunca sai deste para o saber..

Quando acontecer, venho avisar-te [se puder]
*

 
Às 02 novembro, 2005 19:58 , Anonymous Maria do Céu Costa disse...

Um dialogo em sintonia com o sentido do dia que retrata. Beijinhos.

 
Às 02 novembro, 2005 20:16 , Blogger Nina disse...

Um bom texto apesar de n concordar c o final :S

Beijinho :)

 
Às 02 novembro, 2005 21:42 , Blogger LetrasaoAcaso disse...

Um texto interessante, como interessante seria abordar as várias formas como cada um de nós em particular e as diferentes civilizações de uma forma mais generalista analisam a morte.

 
Às 02 novembro, 2005 21:52 , Blogger Peter disse...

letrasaoacaso, do meu artigo "O que está em causa", uma contribuição:

"Entre os fins do séc XI e a 1ª metade do séc XIII, uma pequena seita ismaelita (a “Ordem dos assassinos”) semeou o pânico na região do Médio Oriente. Os seus integrantes, antes de praticarem os atentados, inalavam haxixe (hashishiyun) e, por isso, ficaram conhecidos por “assassinos”. Não demonstrando qualquer receio perante a morte, entregavam-se totalmente ao cumprimento das missões que lhe eram atribuídas."

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial