terça-feira, julho 29

Precisa-se de matéria-prima para reconstruir um País

“(…) Como 'matéria prima' de um país, temos muitas coisas boas, mas falta muito para sermos os homens e as mulheres que o nosso país precisa. Esses defeitos, essa "chico-espertertice portuguesa" congénita, essa desonestidade em pequena escala, que depois cresce e evolui até se converter em casos escandalosos na política, essa falta de qualidade humana, mais do que Santana, Guterres, Cavaco ou Sócrates, é que é real e honestamente má, porque todos eles são portugueses como nós,eleitos por nós. Nascidos aqui, não noutra parte...
Fico triste.
Porque, ainda que Sócrates se fosse embora hoje, o próximo que o suceder terá que continuar a trabalhar com a mesma matéria-prima defeituosa que, como povo, somos nós mesmos.E não poderá fazer nada...
Não tenho nenhuma garantia de que alguém possa fazer melhor, mas enquanto alguém não sinalizar um caminho destinado a erradicar primeiro os vícios que temos como povo, ninguém servirá.
Nem serviu Santana, nem serviu Guterres, não serviu Cavaco, nem serve Sócrates e nem servirá o que vier.
Qual é a alternativa?
Precisamos de mais um ditador, para que nos faça cumprir a lei com a força e por meio do terror?
Aqui faz falta outra coisa. E enquanto essa 'outra coisa' não comece a surgir de baixo para cima, ou de cima para baixo, ou do centro para os lados, ou como queiram, seguiremos igualmente condenados, igualmente estancados...igualmente abusados!
É muito bom ser português. Mas quando essa portugalidade autóctone começa a ser um empecilho às nossas possibilidades de desenvolvimento como Nação, então tudo muda...
Não esperemos acender uma vela a todos os santos, a ver se nos mandam um messias.
Nós temos que mudar. Um novo governante com os mesmos portugueses nada poderá fazer.
Está muito claro... Somos nós que temos que mudar.
Sim, creio que isto encaixa muito bem em tudo o que anda a acontecer-nos: desculpamos a mediocridade de programas de televisão nefastos e, francamente, tolerantes com o fracasso.
É a indústria da desculpa e da estupidez.
Agora, depois desta mensagem, francamente, decidi procurar o responsável, não para o castigar, mas para lhe exigir (sim, exigir) que melhore o seu comportamento e que não se faça de mouco, de desentendido.
Sim, decidi procurar o responsável e estou seguro de que o encontrarei
quando me olhar ao espelho.

Aí está. Não preciso procurá-lo noutro lado.
E você, o que pensa?....medite!"

Eduardo Prado Coelho, in "Publico"

8 Comentários:

Às 29 julho, 2008 22:10 , Blogger Meg disse...

Peter,
Numa vertiginosa ronda pelos meus blogs de referência, pedes-me que medite... Acabei de o fazer. Venho de
htth://caboraso.blogspot.com

e dou-te razão... mudem-se os portugueses, começando por cima!!!

Um grande abraço

 
Às 30 julho, 2008 21:17 , Blogger Tiago R Cardoso disse...

"É muito bom ser português."

Muito bem...

"Nós temos que mudar."

exactamente, se queremos um futuro temos de mudar de forma a que todos colaborem num bem comum, Portugal.

Se cada um tentar ganhar o máximo para si, de forma egoísta, dificilmente teremos futuro.

 
Às 30 julho, 2008 21:59 , Blogger RESSACA disse...

Aqui nasceu o Espaço que irá agitar as águas da Passividade Portuguesa...

 
Às 31 julho, 2008 22:10 , Blogger Papoila disse...

... como se mudam os portugueses analfabetos que ainda os há... os milhões de aliterados, com formação insuficiente, sem formação em serviço e cada vez mais pobres?... estou a meditar alto...
Beijo

 
Às 01 agosto, 2008 11:03 , Blogger Carol disse...

Grande verdade!

 
Às 01 agosto, 2008 14:12 , Blogger Rosa Brava disse...

"...Não tenho nenhuma garantia de que alguém possa fazer melhor, mas enquanto alguém não sinalizar um caminho destinado a erradicar primeiro os vícios que temos como povo, ninguém servirá."

Confesso que não sou grande fã de Eduardo Prado Coelho por motivos que agora não vêm ao caso, mas concordo com ele, em que é preciso mudar mentalidades, especialmente as que estão no topo, dos que nos querem governar, dos que querem ou não, fazer que a Justiça seja verdadeiramente digna.

Poderia enumerar muita coisa que poderia ser mudada, não na mentalidade do povo, mas daqueles que fazem desse mesmo povo ignorantes, cegos, surdos e tantas vezes, PARVOS!

Quando a política e os políticos começarem por RESPEITAR as instituições e o Povo em geral e não dobrar os joelhos num servilismo desmesurado a outros "governos", talvez possamos ter uma leve esperança de que possamos ser realmente um dia, um POVO digno de o ser.

Um abraço carinhoso e bom fim de semana ;)

 
Às 01 agosto, 2008 18:52 , Blogger heretico disse...

há muita gente a ver-se ao espelho. todos os dias. sem vergonha...

mas cada um sabe de si...

abraços

 
Às 05 agosto, 2008 08:19 , Anonymous alfacinha disse...

Lamentar, moer e nunca contentes, mas ninguém fala sobre o progresso que Portugal faz os últimos 40 anos. Os políticos como bode expiatório ,como se tivessem realizado nada em Portugal.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial