sábado, junho 18

Mostrem a cara

Os energúmenos, sejam da "extrema-direita", sejam "anarcas", sejam "oriundos de bairros degradados", circulam impunemente por aí, utilizando os transportes colectivos de todos nós, portanto também deles. Mas circulam de máscaras e, principalmente, com os rostos cobertos por "passe-montanhas", à semelhança dos "ninjas" e perante a passividade da Polícia.

Qual é a segurança do "senhor Silva", mísero (por mal pago) 3º escriturário, que se mete no comboio da Linha de Sintra, de regresso a casa? Ou da menina, caixa de super-mercado e miseravelmente explorada, que se vê obrigada a fazer a mesma "via sacra", depois duma esgotante jornada de trabalho?

Vêm com a falta de emprego. Não há é empregos compatíveis com as habilitações literárias conseguidas à custa de muito esforço, sacrifício e dinheiro. Isso não há. Mas há empregos mal pagos, que são empregos para quem quiser ganhar "algum". É o que não falta por aí. E muitos licenciados agarram-nos com ambas as mãos, tal como um médico ucraniano trabalha nas obras. É preciso sobreviver legalmente,

Acusam de “racistas” quem fala destes temas e, como tal, abstêm-se de os comentar. Mas eu, quer nas fotos, quer nos vídeos gravados pela segurança dos comboios, só vejo negros. Será isto ser racista, o mostrar um delito e quem o praticou?

É mais fácil, perante a "passividade", "permissividade" e “laxismo” que impera por aí, continuar tudo como está. E não só, também “cobardia” e “egoísmo”, de quem só pensa em si, tem medo de levar uma facada e é incapaz de ajudar o “próximo” …

Meio de obter dinheiro fácil, afirmação de força, ou as duas coisas?

Sem máscara, mas escondidos no anonimato, o que vem a ser a mesma coisa, escondem-se os que fogem ao Fisco, tanto mais que uma ex-ministra já se veio manifestar contra a denúncia pública dos faltosos, patati, patatá …

Ao fim e ao cabo é aquela velha classificação de acordo com a situação social de quem comete o delito:

- Roubo.
- Desfalque.
- Desvio de Fundos.

Até quando?

8 Comentários:

Às 18 junho, 2005 19:42 , Blogger heloisa disse...

"Ate' quando???"
Eis ai' uma EXCELENTE E PERTINENTE INTERROGACAO!_A resposta e' que ' dificil de obter!
_Meu AMIGO, como se diz em Portugal:"Quem fala assim nao e' gago!" E, o Peter falou_ESCREVEU_ e, muitissimo bem!_Ai' em Portugal, como aqui, onde estou, os Dramas sao equivalentes e a inercia e a cobardia tambem!
_Esta' muito bonito o BLOG! Mas o importante e' a expressao da Verdade NUA E CRUA!
_Tentarei vir AQUI, pelo menos, duas vezes por semana, vamos ver se meu velho corpo e mente, mo permitem!
_ABRACO!
Heloisa B.P.
************************

 
Às 18 junho, 2005 22:37 , Anonymous Menina_marota disse...

Eu perguntaria, quem trava isto?

Parece-me estarmos a caminhar por caminhos dúbios, muito dúbios..

Abraço ;-)

 
Às 18 junho, 2005 23:14 , Blogger bluegift disse...

Acontece em todo o lado, mas em Portugal a situação requer medidas especiais, em relação aos marginalizados e aos hiper-integrados ;)
A segurança social é uma área importantíssima, a considerar seriamente em qq país que não queira chegar ao ponto a que chegámos.
Peter, aqui, quem rouba é normalmente marroquino, da 2a ou 3a geração, mais desadaptados. Mas os crimes graves ainda pertencem aos europeus, como os belgas...
Os negros não chateiam ninguém e até alegram isto. Pior, os portugueses, são quase considerados como marroquinos...
É preciso criar condições para os descendentes da nossa "mão de obra barata", essa é que é.
Quem são os verdadeiros criminosos no meio disto tudo?

 
Às 18 junho, 2005 23:25 , Blogger Peter disse...

Não te sei responder Heloísa. O que sei é que tiveram 30 anos para resolver o problema e que este se agrava cada vez mais.

 
Às 18 junho, 2005 23:32 , Blogger Peter disse...

Menina_marota, falar nestes assuntos é rotularem-nos imediatamente de racistas, o que é mentira. Mas se mostram tanta apreensão por uma raça, actualmente cidadãos como nós,porque é que esses críticos não se oferecem para trabalhar voluntariamente na AMI, ou noutra ONG?

 
Às 18 junho, 2005 23:44 , Blogger Peter disse...

Bluegift, já respondi diversas vezes à tua pergunta,mas vou responder novamente: - Os sucessivos Governos desde 1975 para cá.///A mão de obra barata são os médicos, engenheiros, professores vindos do Leste, que tabalham na construção civil, na limpeza, nos Hipermercados como caixas, ... aquilo que os portugueses já não querem fazer./// Nunca vi um negro a pedir aqui em Lisboa. A 1ª geração matou-se a trabalhar e a 2ª e talvez até 3ª geração, sem futuro, nem possibilidades de emprego, roubam. É só ver as fotos e os vídeos.

 
Às 19 junho, 2005 14:54 , Blogger bluegift disse...

Peter,
Ainda encontras muitos negros a trabalhar na construção civil.
O que se passa é que se começou a preferir o branco de leste, mais instruído, ao preto, normalmente menos instruído e menos ocidentalizado.
Aqui, p.e., preferem empregar um negro a um marroquino. É uma questão relacionada com a História do país. Os congoleses chegaram primeiro e a sociedade protegeu-os desde mto cedo. Os nossos negros, ao chegar, deparam com um país q se está "a lixar" para eles...
Se por um lado os pais, da 1a geração vieram "por opção", os filhos sentem-se "obrigados" a uma pátria na qual são cada vez mais marginalizados. É natural que a agressividade cresça neste tipo de população.
A culpa é sem dúvida de quem os deixa por aí votados ao abandono em bairros miseráveis. Se o preto não pede, é talvez pq a população foge mais depressa deles do que de um branco. Sabes bem que é verdade.
Nós, sendo ancestralmente europeus, já andamos revoltados contra as condições do país, agora imagina como estarão eles...
Mais que andar a gastar milhões em mais e mais betão, mais vale dar lares condignos e um acompanhamento social mais estreito a estas famílias de bairros degradados.

 
Às 16 agosto, 2006 14:08 , Anonymous Anónimo disse...

Excellent, love it!
blackjack Association moving company Free tips win blackjack jack black high fidelity plaie blackjack Birmingham roulette

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial