quarta-feira, junho 19

GREVES DE PROFESSORES


"Em plenos exames do 12º ano, está em curso uma greve de professores que o bom senso
não conseguiu evitar. Transmissores de princípios, valores e conhecimentos, os professores merecem o nosso carinho e admiração, pelo seu papel central na formação dos homens de amanhã.
Em tempo de incerteza, são compreensíveis os medos de muitos professores, pois tudo está
em equação: horários, escolas, lugares disponíveis…
E não há como escapar à realidade. De facto, havendo cada vez menos alunos, não pode haver mais escolas e necessariamente serão precisos menos professores. Não se trata, porém, de um fenómeno recente determinado pela crise; mas sim do resultado de uma cultura que tem reivindicado e aplaudido políticas e comportamentos que evitam ou reduzem drasticamente o número de filhos.
Desde o aborto até ao consumismo exagerado, tudo tem contribuído para um certo egoísmo
individual e social que já envelheceu dramaticamente o país.
Sendo este o triste resultado de um verdadeiro retrocesso cultural, torna-se é injusto que sejam os alunos, em plena época de exames, os verdadeiramente prejudicados. Sendo a educação trave mestra do país, analisem-se de uma forma séria as causas dos atuais problemas; promovam-se soluções realistas; projete-se o futuro com a ousadia possível. E poupem-se os nossos jovens aos indisfarçáveis efeitos colaterais. Eles têm esse direito!..."

(in "Página 1")

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial