terça-feira, dezembro 27

A Primeira Luz do Universo?


Uma observação efectuada com o auxílio da câmara de infravermelhos do telescópio espacial Spitzer, revelou a presença de radiação de infravermelho na constelação do Dragão. Pensa-se que esta radiação seja proveniente das primeiras estrelas do Universo, com mais de 100 vezes a massa do nosso Sol, de uma era de há mais de 13 mil milhões de anos, quando o brilho do Big Bang se desvaneceu. Estas sobreviveram por apenas uns escassos milhões de anos antes de explodirem naqueles que foram os primeiros eventos de supernovas.

Depois de a matéria incandescente remanescente do Big Bang ter arrefecido e o Universo passar a ser transparente à radiação, surgiram as primeiras estrelas e galáxias, entre outras estruturas celestes que conhecemos hoje. Os objectos que emitiram esta luz desapareceram há uma enorme quantidade de tempo e, ainda assim, a sua luz continua a viajar através do Universo.

A luz identificada pode ser proveniente das primeiras estrelas ou, talvez de gases quentes em queda para os primeiros buracos negros. A equipa que realizou a descoberta descreve as imagens obtidas como a da iluminação nocturna de uma cidade distante, quando vista de avião. A luz é demasiado débil e está demasiado distante para que se possam resolver objectos individuais.

A gravura acima pretende ser uma ilustração artística do Universo jovem.

(Resumo, muito condensado, de um artigo publicado no último ASTRONOVAS recebido - Observatório Astronómico de Lisboa - Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa )

Etiquetas:

4 Comentários:

Às 27 dezembro, 2005 01:32 , Blogger lazuli disse...

As primeiras estrelas do universo, o Big Bang, o mistério profundo. Há só um universo? Um começo? e dantes, o que havia? Não havia nada..Então o que é o nada?
Sei que são interrogações da primeira classe, mas é o que me ocorre agora.
Belo texto, Peter.

Nem me atrevo a mandar beijos.

fernanda G.

 
Às 27 dezembro, 2005 03:14 , Blogger Peter disse...

lazuli, EU acredito que existe um UNIVERSO, que é eterno e infinito. O "nada" é uma ideia impossível, porque não existe. Há sempre algo.
Nesse UNIVERSO, possivelmente a partir duma "singularidade", ter-se-ia verificado um Big Bang (chamemos-lhe assim, embora tal seja incorrecto) que originou o "nosso" universo, ou "universo visível", que não é mais que um cone, cujo vértice, poderá ser a Terra e cuja base se afasta continuamente, a uma velocidade tremenda.

Beijinhos e vou fazer Ó-Ó.

 
Às 27 dezembro, 2005 17:28 , Anonymous Maria Papoila disse...

Só agora vi este artigo com olhos de ver! A Luz das primeiras estrelas do Universo ou dos gazes da sua desintegração? Fiquei fascinada a olhar para a foto! Beijo

 
Às 27 dezembro, 2005 18:14 , Blogger Peter disse...

maria papoila, até onde os n/olhos já viajaram para ver "coisas" que há milhares de milhões de anos desapareceram.
É incrível, não é?

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial