domingo, março 12

Um mar de vidro em galáxias em colisão

Com o auxílio do telescópio espacial Spitzer, uma equipa de astrónomos observou uma população rara de galáxias em colisão, cujos núcleos estão envoltos por pequenos cristais que se assemelham a pedaços de vidro. É como se uma enorme tempestade de areia estivesse a ocorrer no centro dessas galáxias. Os silicatos envolvem os núcleos das galáxias como se fossem "cobertores" gigantes de vidro poeirento e o que presenciamos é análogo à colisão de duas carrinhas cheias de farinha. Quando isso acontece, uma nuvem de poeira branca é temporariamente levantada.

Na gravura abaixo podemos ver uma concepção artística do núcleo de duas galáxias em colisão com os cristais espalhados através deste. Os cristais de silicato (areia) foram representados a verde e as regiões a branco estrelas de todos os tamanhos e idades.
Esta é a primeira vez que cristais de silicato foram detectados numa outra galáxia que não a nossa.



Os cientistas ficaram surpreendidos ao descobrir cristais pequenos e delicados no centro de um dos locais mais violentos do Universo, pois os cristais com estas características são facilmente destruídos. Mas neste caso estão provavelmente a ser criados por estrelas moribundas, de grande massa, a um ritmo maior do que aquele a que se dá a sua destruição e os cristais são ejectados pelas estrelas, antes e após estas explodirem como supernovas.

Esta descoberta ajudará os astrónomos a compreender melhor a evolução das galáxias, incluindo a nossa Via Láctea, que daqui a uns milhares de milhões de anos se fundirá com a sua vizinha Andrómeda.

(elementos colhidos no ASTRONOVAS, boletim informativo do OAL)

4 Comentários:

Às 12 março, 2006 13:49 , Blogger Su disse...

adoro este temas por ti tão bem explicados

gostei de ler.te

jocas maradas

 
Às 12 março, 2006 19:33 , Blogger Peter disse...

"su", eu bem vou procurando cativar o pessoal para estes temas, mas tenho a impressão que os leitores são poucos ...

 
Às 12 março, 2006 20:36 , Blogger Betty Branco Martins disse...

Peter

O que eu aprendo contigo!
És fantástico a abordar estes temas.

Só sei que Andrómeda é imensamente grande mas pouco visível :)

É um "mergulho" mágico no verdadeiro mistério.

(Já ando de pé - mas não no pé :))

Beijinhos

Boa semana

 
Às 12 março, 2006 23:09 , Blogger Peter disse...

Betty, este é o meu hobby, ao qual me dedico desde a compra do primeiro livro sobre o assunto: "Um pouco mais de azul - a evolução cósmica", em 1983, do astrofísico nuclear canadiano, Hubert Reeves.
A partir daí fui comprando livros de divulgação científica, de cientistas credenciados: H.Reeves, Fred Hoyle, Richard Feynman (que me iniciou na Física Quântica), Carl Sagan,Trin Xuan Thuan (excepcional),Albert Einstein e Leopold Infeld ("A evolução da Física - De Newton até à Teoria dos quanta"), Stephen Hawking e outros de menor nomeada.
Para além disso, mantenho contactos com o OAL e a NASA.

É portanto natural que me mova com um certo à vontade, procurando escrever posts de divulgação, numa linguagem simples e susceptível de atrair.

Melhoras ao pé e uma boa semana.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial