segunda-feira, março 13

Os intocáveis

Evidentemente que não sou jornalista e por isso não posso fazer trabalho de investigação e tenho que me ater ao que relatam os jornais, como é o caso, que provocou em mim um misto de apreensão (pelo que me poderá também acontecer) e de revolta.

Uma jóvem, então com 25 anos, procurou em Fevereiro de 2003, uma consulta particular de ortopedia, numa clínica de Lisboa, devido a uma forte dor na omoplata direita.

Como todos sabem e até já aconteceu comigo, uma injecção (infiltração) resolve o problema. E foi o que o médico especialista e professor universitário lhe fez.

Simplesmente, por volta das 03 da manhã, a paciente teve de baixar ao Hospital de Santa Maria, onde lhe foi diagnosticado um "pneumotórax provocado" (pulmão perfurado). A alta foi-lhe apenas dada a 12 de Março de 2003, tendo, durante o seu internamento, contraido uma "tuberculose hospitalar". A suspeita de um "tromboembolismo pulmonar", ainda a obrigou a seguir um tratamento que se prolongou por mais um ano.

O ortopedista em questão apenas esteve contactável uma vez e pouco ou nada adiantou, pelo que foi apresentada queixa na Ordem dos Médicos a qual, até à data, ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Estamos "feitos" ...

5 Comentários:

Às 13 março, 2006 17:06 , Blogger augustoM disse...

É o sistema a proteger-se a si próprio. Como estamos fora do sistema, estamos "feitos".
Um abraço. Augusto

 
Às 13 março, 2006 21:02 , Blogger Peter disse...

"augustom" eu o que mais me admira e lamento, é seres o único a comentar o facto.
Ou as pessoas pensam que isto só acontece aos outros, ou regressámos a 24 de Abril de 1974, em que voltou o receio de se exprimirem livremente.

abraço

 
Às 13 março, 2006 21:41 , Blogger lazuli disse...

Se foi por desleixo profissinal devia ser punido, mas para ser punido precisa de uma acusação, e quem é acusado tem o direito de se defender.
Não quero defender o médico, não...
Esta minha observação é defeito profissional, mas sei que é dificil abalar os corporativismos instalados.
Será que no seu consultório aconteceria a mesma coisa? Pode ser que sim, pode ser que não.
Peca-se por defeito e depois por excesso, pois nos EUA os médicos só trabalham com fortes seguros profissionais. E defendem-se com as mais variadas análises e exames preliminares.
Aqui, temos a explosiva mistura entre público e privado, são ambos a mesma coisa em passeios diferentes da rua.
Encontram-se bons profissionais em ambos os sítios. Temos é...muito azar às vezes.
Também é bom não esquecer as condições em que muitos trabalham, na tal afamada função pública tão mal amada e com destino marcado.
Desculpa este desabafo, pois assisti" ao nascimento do Serviço Nacional de Saúde, e é uma das conquistas que deveria ser lembrada e acarinhada por todos (coisa que mal vejo acontecer..).
Venha o diabo e escolha, pois de qualquer maneira estamos feitos.

Beijos e boa noite para ti.

 
Às 14 março, 2006 00:18 , Blogger Peter disse...

Lazuli, o imenso poder das Ordens, é Corporativismo puro, no pior sentido e não fica nada atrás do Corporativismo do Estado Novo, antes pelo contrário. Sabes bem que, entre nós é extremamente difícil, senão impossível, culpabilizar um médico, pois defendem-se uns aos outros e a Ordem estende sobre eles a sua "asa protectora".

 
Às 14 março, 2006 00:24 , Blogger Peter disse...

Lazuli, o caso vertente, não tem nada a ver com o SNS, que defendo.
Penso que as Ordens deviam pugnar mais do que pela defesa dos associados, pela defesa e dignidade da profissão.
Lamento o desinteresse das pessoas por estes assuntos, talvez um temor referencioso perante o medico, que detem nas suas mãos o poder de vida ou de morte, e , portanto, nada de estar mal com eles, pois poderão vir a precisar dos seus serviços ...

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial